Curitiba

Conheça a cidade de Curitiba

Edifício Barão do Serro Azul

Arquitetura muito bonita, o edifício construído em 1966, situado na Rua Prefeito João Moreira Garcez, perto do marco zero da cidade, praça Tiradentes, Lago da Ordem e Rua XV.

Bigorrilho

Linda vista do bairro Champagnat (Bigorrilho), tirada do terraço do edifício Déa na Rua Julia da Costa. 10:30:04 em 16/02/2017.

Muito próximo ao parque barigui, um dos melhores parques da cidade. Da para ir à pé ou de bicicleta, curtir e fazer exercícios.

JARDIM BOTÂNICO

O Jardim Botânico de Curitiba ou Jardim Botânico Francisca Maria Garfunkel Richbieter, presta uma homenagem à urbanista Francisca Maria Garfunkel Rischbieter, uma das pioneiras no trabalho de planejamento urbano da capital paranaense, e é um dos principais pontos turísticos de Curitiba. Em 2007 foi o monumento mais votado numa eleição para escolha das Sete Maravilhas do Brasil. Inaugurado em 5 de outubro de 1991, o jardim contém inúmeros exemplares vegetais do Brasil e de outros países, espalhados por alamedas e estufas de ferro e vidro, a principal delas com três abóbadas do estilo Art nouveau foi inspirada no Palácio de Cristal de Londres, do século XIX. A estufa é climatizada e mantém espécies da Floresta Atlântica como Caraguatá, Caetê e Palmito. Do seu interior é possível ter uma vista privilegiada do jardim em estilo francês. Todo o Jardim Botânico possui uma área total de 278 mil metros quadrados, incluindo o bosque com mata atlântica preservada. Localiza-se na rua Engenheiro Ostoja Roguski (Primeira Perimetral dos Bairros) - Bairro Jardim Botânico.

BONDINHO DA RUA XV DE NOVEMBRO

Estacionado na Rua 15 de Novembro esquina com a Rua Ébano Pereira, o bondinho foi inaugurado em 27 de outubro de 1973 e seu objetivo inicial era fornecer recreação para as crianças, através de atividades pedagógicas e artísticas, enquanto seus pais se ocupavam em fazer compras nas lojas do calçadão. Entre os anos de 1986 a 1989, o local transformou-se em ponto de informações turísticas, mas a partir de 14 de outubro de 1989, em uma grandiosa festa em homenagem ao Dia da Criança, voltou a oferecer os seus serviços originais. Em novembro de 2010, após uma longa reforma, o bondinho da Rua XV reabriu suas portas ao público curitibano sob a denominação de Bondinho da Leitura, oferecendo uma mini-biblioteca aos transeunte da Rua das Flores.

PRAÇA DO JAPÃO

A praça é uma homenagem aos imigrantes japoneses que chegaram a Curitiba em 1910. Seu projeto foi iniciado em 1958 e a praça concluída em 1962. Uma reforma, em 1993, incluiu o Portal Japonês, o Memorial da Imigração Japonesa, a Biblioteca Municipal da Praça do Japão, onde estão disponíveis publicações em japonês, a Casa de Chá, e ganhou a Casa da Cultura, onde é possível conhecer as dobraduras de papel (origami), da arte floral (ikebana) e dos poemas de três versos (hai-kais). Em uma área arborizada de 14 mil metros quadrados, existem espalhadas pela praça 30 cerejeiras enviadas do Japão pelo império nipônico e 6 lagos artificiais nos moldes japoneses. O Buda no centro do lago marca a irmandade entre Curitiba e Himeji e transmite toda a paciência e arte dos japoneses no Brasil, desde 1908. A lanterna esculpida em pedra, foi doada pela assembléia legislativa de Hyogo, estado japonês co-irmão do Paraná, em 1979. A lanterna é um símbolo tradicional nos jardins japoneses.